quinta-feira, 21 de junho de 2018

Ariano Suassuna, 1927-2014


Escritor e dramaturgo brasileiro, autor do ‘Auto da Compadecida’, considerada sua obra-prima e adaptada para o cinema e televisão.
Além de escritor renomado, um dos maiores do Brasil, foi professor e idealizador do ‘Movimento Armorial’, que valorizou as artes populares. Nesse movimento, os artistas tinham o intuito de criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste.






Poucos brasileiros foram tão geniais e de inteligência popular e erudita ao mesmo tempo como Ariano Suassuna.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Augusto Cury, 1958 (nascimento)


Médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro. É considerado o autor brasileiro mais lido da década.



“TENTO ser um pequeno semeador de ideias para dar significado à minha vida.”



SEI que o Artesão da existência pode perdoar as loucuras dos homens, e quem sabe as minhas também. Mas o meu problema é eu mesmo me perdoar.”

Bertrand Russell, 1872-1970


O mais influente filósofo britânico do século XX. Foi ensaísta e crítico social, mais conhecido por seu trabalho de lógica matemática e filosofia analítica.

"Por que repetir erros antigos, se há tantos erros novos a escolher?" A provocação espirituosa de Bertrand Russell bem demonstra seu interesse pela vida, pela liberdade e pelo conhecimento.




Como se lê em https://www.ebiografia.com/bertrand_russell/, apesar de sua imensa produção filosófica, que abordava assuntos como física, lógica, religião, educação e moral, Bertrand Russell nunca foi uma personalidade estritamente acadêmica.


quarta-feira, 13 de junho de 2018

‘Solitude’ aos 70 anos. Desejar mais o quê?...


Tom Simões, 13 de junho de 2018


“Setenta anos ensinaram-me a aceitar a vida com serena humildade.”
(Sigmund Freud, austríaco, médico neurologista, criador da psicanálise)






"Não quero ser feliz. Quero é ter uma vida interessante."
(Contardo Calligaris, psicanalista)



CHEGAR aos 70 ‘se bastando’, no bom sentido, em companhia da família, preenchido de amor incondicional e transbordando de coisas boas a oferecer aos outros... O que pode haver de melhor? Eu e meus livros, sempre útil companhia, que apazigua dores e traz esperança ao nos apresentar enredos tão providenciais.


Pego um gancho do poeta Armando Freitas Filho, em crônica publicada na Folha de S. Paulo, ‘Mais vivo do que nunca’: “Até hoje, aos 78 anos, quando estou perdido e só, abro os livros de Carlos Drummond de Andrade e sempre encontro alguma salvação. São minha Bíblia pagã, com o mesmo peso. [...] Não preciso trancar a porta. Ninguém entende nada do que sinto...” Armando escreve sobre Drummond, dizendo que o poeta tocava em coisas secretas, e nele encontrar, sempre em nível de excelência, a dor e o amor da existência e da humanidade.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Carlos Castañeda, 1925 (Peru) / 1998 (EUA)


Escritor e antropólogo formado pela Universidade da Califórnia. Naturalizou-se americano.

Com base em http://www.sgi.org.br/pt/biografias/carlos-castaneda/, para entender o fenômeno místico e esotérico mundial das últimas quatro décadas, é necessário conhecer Carlos Castañeda, um dos autores mais misteriosos e impactantes dos últimos tempos. Sua obra compreende uma série de ensinamentos mágicos e psicológicos, envolvidos nos relatos de suas experiências vividas com Don Juan Matus, um índio Yaqui mexicano, de quem se tornou aprendiz de feiticeiro. Castañeda publicou oito livros sobre o relacionamento com seu mestre.


sábado, 2 de junho de 2018

Carl Sagan, 1934-1996


Cientista, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor e divulgador científico norte-americano. Prolífico escritor, é autor de cerca de 600 publicações científicas, e também de cerca de 20 livros de ciência e ficção científica.




Carl Sagan foi um cientista que, definitivamente, não teve medo de especular. É claro que ele sabia muito bem separar o que era ciência do que era especulação. Mas o jeito irresistível através do qual relacionava conceitos científicos com conteúdos imaginativos pertinentes tornava seu pensamento único e fascinante para o público leigo.


sexta-feira, 1 de junho de 2018

Charles Chaplin, 1889-1977


Ator, dançarino, diretor e produtor inglês.


Lê-se em https://www.ebiografia.com/charles_chaplin/ que Charles Chaplin, também conhecido como ‘Carlitos’, foi o mais famoso artista cinematográfico da era do cinema mudo. Ficou notabilizado por suas mímicas e comédias de humor sofisticado. O personagem que mais marcou sua carreira foi ‘O Vagabundo’, um andarilho pobretão com as maneiras refinadas e a dignidade de um cavalheiro, vestido com um casaco esgarçado, calças e sapatos desgastados e mais largos que o seu número, um chapéu coco, uma bengala e seu marcante bigode.



quinta-feira, 31 de maio de 2018

Grudado no Celular...

Só é útil o conhecimento que nos torna melhores” (Sócrates)


Tom Simões, maio 2018


RECOMENDO essa leitura também!



HÁ uma corrida maluca para não se perder tempo... E o pior, não raramente, o tempo disponível é queimado em interesses que não trazem significado algum à vida construtiva. Quer tempo mais desperdiçado na vida do que o tempo concentrado na leitura e envio de mensagens virtuais corriqueiras, repetitivas, sem a menor criatividade, que nada agregam à vida útil? E que não raramente são imediatamente deletadas por leitores conscientes... O que acha de valorizar esse tempo disponível com a leitura de um bom livro, de um vídeo instrutivo desse montão disponível na internet... Todo o nosso entorno pode ser beneficiado a começar da atitude construtiva de cada um de nós. A leitura valoriza o tempo, além de beneficiar um bocado de gente! Ficar inutilmente grudado na rede eletrônica focado em bobagens é burrice. Burrice eletrônica! Ignorância eletrônica! Inconsequência eletrônica! A Internet é uma Escola Aberta. Para quem sabe usufruí-la de maneira consciente e inteligente. Convém sermos bons alunos para com ela nos beneficiar e contribuir para o despertar consciente do nosso entorno. Mais leitura útil! Menos desperdício de vida! O que você acha de tudo isto?...

terça-feira, 29 de maio de 2018

Charles Darwin, 1809 – 1882


Darwin, naturalista britânico, foi um dos pesquisadores que mais influenciaram a história da Ciência, uma vez que levantou importantes pontos sobre como as espécies mudaram ao longo do tempo. Em sua obra ‘Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural’, ele convenceu a comunidade científica da ocorrência da evolução, propondo uma teoria para explicar como ela se dá por meio da seleção natural.






A sua viagem de cinco anos a bordo do Beagle e escritos posteriores trouxeram-lhe reconhecimento como geólogo e fama como escritor.
Suas observações da natureza levaram-no ao estudo da diversificação das espécies e, em 1838, ao desenvolvimento da teoria da Seleção Natural.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Francisco Cândido Xavier, 1910-2002


Mais conhecido como Chico Xavier, foi um médium mineiro, filantropo (que ou quem age em favor do seu semelhante, altruísta) e um dos mais importantes expoentes da doutrina espírita.  





Esse ser humano iluminado serviu como instrumento de comunicação de Forças Superiores do Universo para transmitir conhecimentos capazes de nos transformar em pessoas melhores e mais plenas internamente. Trata-se de um longo caminho a ser percorrido e que exige a reinvenção de cada um de nós. Como cita o filósofo estadunidense Henry David Thoreau, “A verdadeira transformação é pessoal, interior, totalmente individual, correspondendo à descoberta da divindade em cada pessoa como elemento indissociável da Natureza”.

Marco Túlio Cícero, 106 a.C. – 43 a.C.


Advogado, político, escritor, orador e filósofo romano. Recebeu aprimorada educação com os maiores oradores e jurisconsultos (pessoas de grande conhecimento jurídico) de sua época. Foi um dos mais importantes filósofos da Roma antiga.

De acordo com https://www.infoescola.com/filosofos/marco-tulio-cicero/, sua educação foi baseada nos grandes filósofos, poetas e historiadores gregos. Foi toda a sua proficiência na língua grega que o levou à condição de intelectual e o colocou entre a elite romana tradicional. A família de Cícero também o ajudou a crescer, seu pai era um rico equestre com importantes contatos em Roma, cita Antonio Gasparetto Junior, graduado e mestre em História.


domingo, 27 de maio de 2018

Contardo Calligaris, 1948 (70 anos)


Psicanalista com doutorado em psicologia clínica, escritor e dramaturgo italiano radicado no Brasil. Iniciou seus estudos nas áreas de Letras e Filosofia. É colunista da Folha de S.Paulo.


sexta-feira, 25 de maio de 2018

Claudio Naranjo, nascido em 1932

Renomado médico psiquiatra chileno, de Valparaíso, escritor, professor e conferencista. É considerado um pioneiro em psicologia transpessoal, terapia Gestalt e tradições espirituais. Com base em https://amenteemaravilhosa.com.br/consiste-terapia-gestalt/, a terapia Gestalt está dentro das chamadas terapias humanistas, com influências da psicanálise e da filosofia oriental. Da mesma forma que o resto das terapias humanistas, o seu modo de fazer psicoterapia não se concentra na doença e sim em gerar saúde a partir das potencialidades que a própria pessoa possui. É autor de livros como ‘Mudar a Educação para Mudar o Mundo’, ‘Entre Meditação e Psicoterapia’ e ‘Cantos del Despertar’.


Um Mestre do nosso Tempo


Confúcio, viveu entre 551 e 479 a.C.


O mais famoso filósofo e pensador político da China. A filosofia de Confúcio sublinhava uma moralidade pessoal e governamental, os procedimentos corretos nas relações sociais, a justiça e a sinceridade.




Lê-se em https://mundoestranho.abril.com.br/historia/quem-foi-confucio/ que,  na adolescência, Confúcio já chamava a atenção como estudante exemplar. Depois, seguiu uma brilhante carreira de professor, demonstrando grande conhecimento nas mais variadas áreas, de história e aritmética a poesia, música e caligrafia. Infelizmente, o filósofo não deixou nenhuma obra escrita, mas seus discípulos coletaram pequenos provérbios do mestre, além de diálogos com ele, e os reuniram em um texto intitulado ‘Lun yü, ‘Os analectos’.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Ernest Hemingway, 1899-1961


Escritor norte-americano. Trabalhou como correspondente de guerra em Madrid durante a Guerra Civil Espanhola. Essa experiência inspirou uma de suas maiores obras, ‘Por Quem os Sinos Dobram’. A  comovente história narra três dias na vida de um americano que se ligara à causa da legalidade na Espanha. O autor conseguiu que seus leitores sentissem que o ocorrido no país ibérico, em 1937, era apenas um aspecto da crise do mundo moderno.

   Imagem: https://www.voal.ch/kjo-nuk-ka-rrezik-te-ndodhe-me-ty-tregim-nga-ernest-hemingway-perktheu-nasi-lera/

  
Cita https://revistagalileu.globo.com/Cultura/noticia/2016/07/9-fatos-inacreditaveis-sobre-vida-de-ernest-hemingway.html, que Ernest Hemingway é uma lenda. O escritor participou das duas guerras mundiais, sobreviveu a dois acidentes de avião, teve seus livros queimados pelos nazistas, deu nome a um corpo celeste que orbita o sol e, como se isso não fosse o suficiente, ganhou o ‘Prêmio Nobel de Literatura’.

Fabrício Carpinejar, 1972 (nascimento)


Escritor, jornalista e professor universitário, pai de dois filhos... "Um ouvinte declarado da chuva, um leitor apaixonado do sol. Quando conseguir se definir, deixará de ser poeta", assim ele se define, http://carpinejar.blogspot.com.br/2016/09/selfie-da-voz.html








Segredo entre Deus e o Homem

“RARAMENTE você atravessará a encarnação sem experimentar amor, a amizade, a esperança e o ódio. Mas pode morrer sem nunca conhecer a misericórdia.
A misericórdia não é racional, extrapola a lógica e a balança dos pensamentos coloquiais entre o certo e o errado.
A misericórdia é oferecer chance para quem não merece, é alcançar o perdão para quem recusou a penitência, é emprestar coragem a um covarde, é carregar alguém nas costas do inferno ao paraíso.
Não ser capaz da misericórdia é humano. Não tem nada de errado. Pois Deus criou algo realmente incompreensível, inaceitável e perigoso dentro do coração.
Não confunda misericórdia com complacência. Não significa ceder, porém apoiar na mais completa adversidade.
Assim como é fácil a remissão após longo tempo ou no momento em que os acontecimentos esfriam. Misericórdia mesmo unicamente tem sentido quando o sangue está quente e a raiva recente de seus ressentimentos.
Misericórdia é um suspiro no interior de um soluço, é uma lágrima que molha as palavras da boca. Não tem como entender. Às vezes não há como aceitar. Estraga a sociedade e a convivência, desfaz a hierarquia dos pecados e o entendimento da redenção pelo esforço.
Misericórdia abole o julgamento, cria exceções insuportáveis, mima a maldade. É um apoio sumário, sem aguardar contrapartida e recompensas.
Só será feita por quem tem estômago forte, caráter transcendente e pulso firme. Os fracos não aguentam os revezes da culpa.
Misericórdia é quando um sobrevivente do holocausto desculpa um nazista, é quando uma mãe não se vinga do assassino de seu filho, é quando a vítima da violência se solidariza com as condições do agressor.
Misericórdia é quando você tem todos os motivos para perder a fé e, estranhamente, reforça os votos de crença na vida.”

terça-feira, 22 de maio de 2018

Fernando Pessoa (1888-1935)


Poeta, escritor, astrólogo, crítico literário, inventor, empresário, tradutor, filósofo e comentarista, nascido em Lisboa.
É considerado um dos mais importantes poetas da língua portuguesa e figura central do modernismo português. Poeta lírico e nacionalista,  cultivou uma poesia voltada aos temas tradicionais de Portugal e ao seu lirismo saudosista, que expressa reflexões sobre seu ‘eu profundo’, suas inquietações, sua solidão e seu tédio.



Ferreira Gullar, 1930-2016

Poeta, produziu também obras em áreas como ensaio, tradução, biografias e crítica de arte. É um dos fundadores do neoconcretismo.
Como citado em http://escolaeducacao.com.br/melhores-poemas-de-ferreira-gullar/, a poesia de Ferreira Gullar sempre destacou-se pelo engajamento político. Por meio da palavra, Gullar fez da poesia um importante instrumento de denúncia social.

  
Como o poeta se sente num tempo em que a poesia perdeu sua importância cultural?
(em entrevista a Pedro Maciel, ‘A morte é o nada’, Folha de S.Paulo, 11/12/2016)

NÃO sei se a poesia perdeu sua importância cultural. Acho que não perdeu. Uma coisa é a cultura de massa, a badalação em torno de bobagens que preponderam na nossa sociedade. Outra coisa é a verdade, a verdadeira arte, a verdadeira poesia, os verdadeiros valores.
A poesia, mais do que nunca, é fundamental para as pessoas exatamente porque elas vivem uma vida alucinada em que todo valor é banalizado. Então, as pessoas recorrem à poesia. É claro que não é a maioria, mas nunca foi a maioria. Em época alguma do mundo a maioria procurou a poesia.”

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Francis Bacon, 1561-1626


Filósofo, ensaísta e político inglês. Sua educação orientou-se para a vida política, na qual alcançou posições elevadas. Foi importante na formulação de teorias que fundamentaram a ciência moderna.
De acordo com https://www.ebiografia.com/francis_bacon/, Bacon influenciou a psicologia ao argumentar que todas as ideias são   produto da sensação e da reflexão. Contestou a afirmação medieval de que a verdade poderia ser elucidada através de pouca observação e muito raciocínio.


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Franz Kafka: 1883-1924


Um dos principais escritores ficcionais de língua alemã, Franz Kafka nasceu na cidade de Praga, nessa época integrante do império austro-húngaro, atualmente conhecido como República Tcheca, no seio de uma família de classe média judia. Considerado um dos principais escritores de literatura moderna e um dos mais influentes do século XX, sua obra retrata as ansiedades e a alienação do homem.