quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

HOMENS PODEM SER FELIZES SEM SEXO?


Muitos sofrem calados, por vergonha e medo do estigma de não corresponderem ao ideal de ser ‘um homem de verdade’. Espera-se que eles sempre estejam dispostos, mas essa não é a realidade.

·        Fonte: Mirian Goldenberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, autora de ‘A Bela Velhice’. Folha de S.Paulo, 4/2/2020



“RECEBI tantas mensagens dos leitores comentando a coluna ‘O sexo das mulheres mais velhas’, que sou obrigada a voltar ao assunto, especialmente para retratar as angústias masculinas. Seguem três mensagens que recebi:

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

A VERDADEIRA ORAÇÃO

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 14 de janeiro de 2020




O EXERCÍCIO habitual da bondade e generosidade é a verdadeira oração, esse ato religioso que nos conecta com a Divindade. De nada adianta promessas e sacrifícios (peregrinar, jejuar, andar de joelhos, ir à missa por obrigação...), beijar imagens, rezar distraidamente o terço, repassar correntes religiosas, pular ondas na virada do ano, se a ignorância e o egoísmo permanecem. Tudo isso contraria o bom senso e o raciocínio lógico. A gente não precisa pedir nada ao Divino, interessadamente. Atraímos o que merecemos. É necessário refletir sobre o verdadeiro propósito da vida humana. A verdadeira oração é agir sempre de forma a produzir a maior quantidade de bem-estar ao próximo. Quando a gente se sente preenchido, surge naturalmente o desejo de compartilhar... É então que dá pra falar de felicidade genuína, sim.” 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

NÃO GOSTO DE FESTAS

EU-TAMBÉM-DESCOBRI-QUE-NÃO-GOSTO-DE-FESTAS hahahaaaa... Prefiro mesmo reunir-me com amigos num café da tarde, num almoço num restaurante, na casa de um ou outro para conversas agradáveis e produtivas...

Tom Simões, jornalista, tomsimoes@hotmail.com, janeiro 2020


(sintetizado de “Boas festas – ou ‘pole’ norte", do escritor Antonio Prata, Folha de S.Paulo, 22/12/2019)

“POR motivo de crise-de-meia-idade-e-busca-por-saúde-e-algum-sentido-nesta-coisa-louca-que-é-a-vida, dei-me conta de que passei as últimas décadas achando que gostava de festa porque nelas estava sempre mais ou menos bêbado — e o leitor há de convir que qualquer programa do qual o desfrute dependa de que os participantes estejam mais ou menos bêbados só pode ser um programa ruim.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

AMOR INCONDICIONAL: COMPÊNDIO


O amor comum é egoísta, obscuramente enraizado em desejos e satisfações. Como cita Fernando Pessoa, nunca amamos ninguém; é a nós mesmos que amamos ...

Tom Simões, jornalista, www.tomsimoes.com, dezembro 2019




ACHAMO-NOS normais. Acreditamos que nos relacionamentos com os mais próximos (família, amigos, e outros menos próximos) somos até bem camaradas. Mas quem é capaz de surpreender habitual e DESINTERESSADAMENTE o outro? Em que sentido seria isso? Fazer algo que não ocorre rotineiramente, como um elogio inesperado... Porque há ideias embutidas no subconsciente da ‘normalidade’, do tipo: ‘isso não é minha função, mas do outro’... Daí a gente vai e faz, ainda que lidando com uma pessoa egoísta. Bom mesmo é a sensação de quem age assim! Por se tratar de uma pessoa preenchida de amor, que precisa compartilhá-lo. Quando alguém desperta neste sentido, age naturalmente! Por vezes, o outro pode até se surpreender, mas ainda não está pronto para se desvencilhar de si mesmo e descobrir o amor incondicional, esse desejo silencioso de compartilhar a ‘felicidade genuína’, ou seja, a paz permanente. Esse é um caminho que transcende a normalidade. Ponto. Albert Camus, filósofo francês, acredita que o homem tem duas faces: ‘não pode amar ninguém, se não se amar a si próprio’. Por sua vez, Anthony Strano, escritor, conta que, através da história, pode-se ver que as pessoas genuinamente espirituais, que despertaram a consciência divina, normalmente expressaram-na através do desejo de servir: ‘se alguém ama, doa’.

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

SOLITUDE

Identifico-me com o pensamento de Schopenhauer, nesta altura da vida...


                            Tom Simões, jornalista, 
www.tomsimoes.com, novembro 2019



Porém, eu não diria ‘Um homem de intelecto, em completa solidão',
mas ‘Um homem de intelecto, em completa SOLITUDE...
    
A solidão é o sentimento de falta de pertencimento no mundo que pode levar ao vazio.

Diferente da solidão, a solitude está associada a sentimentos positivos, à alegria em estar sozinho. Isolar-se voluntariamente pode ser uma forma de entrar em contato consigo mesmo, de fortalecer a autoconfiança. E então destinar-se ao bem, como missão.

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

‘O SER HUMANO COMO SACERDOTE DE SI MESMO’


Na modernidade, o indivíduo escolhe como deseja viver sua religiosidade, sem necessidade de se ligar a uma seita. É o indivíduo que constrói sua própria lógica.

Tom Simões, jornalista, www.tomsimoes.com, outubro 2019




ESTE texto tem como base a palestra do teólogo e escritor Ed René Kivitz, ‘A espiritualidade inconsistente e o mercado de Deus’, ministrada no Café Filosófico da TV Cultura de São Paulo.

A religião cobra caro de seu fiel. O fiel é um ser infantilizado, que se torna vulnerável à manipulação. Deus é puro amor, não pede nada em troca. Com Ele, não é possível fazer barganha. A troca inviabiliza minha convivência com a Divindade. A relação idolátrica desfigura-me como ser humano, com ela perco minha autonomia. A crença escraviza, ao mexer com nossa culpa, nosso pecado, nosso medo, nossa ignorância...

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

O QUE EU ESTOU BUSCANDO?


O que realmente quero da minha vida? Quais são as minhas prioridades? Não é triste ignorar essa questão? Minha sede de aprendizado revela o quanto ainda há por eu descobrir.


Tom Simões (*), jornalista, tomsimoes@hotmail.com, setembro 2019



 ALGUNS de nós em algum momento começam a perguntar qual o propósito da nossa própria existência. Para o que estou usando o meu tempo e a minha vida? Ou, de fato, como estou ocupando minha mente?

Daniel Kahneman, professor emérito de psicologia da Universidade de Princeton, laureado com o Prêmio Nobel, diz que as pessoas têm respostas prontas para muitas questões sobre si mesmas, sabem o seu nome, o seu endereço e a sua filiação partidária. Mas, geralmente, não sabem se são felizes. Portanto, devem construir uma resposta para essa indagação, sempre que ela for feita. Para Kahneman, o bem-estar subjetivo sofre menos influência de memórias distorcidas e outros artificialismos.   

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

OS GRANDES PENSADORES DA HUMANIDADE


Tom Simões (*), jornalista, tomsimoes@hotmail.com, setembro 2019




EU VIVO pesquisando os pensamentos desses homens e mulheres extraordinários que influenciaram a nossa forma de ver e estar no mundo, com um amor pela sabedoria experimentado apenas por seres humanos conscientes de sua própria ignorância. Os grandes pensadores estudaram, pensaram e escreveram sobre os temas essenciais com os quais ainda lidamos no mundo contemporâneo.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

LER LIVROS FAZ-NOS CRESCER, PARA NÃO PERMANECERMOS ORDINÁRIOS

Tom Simões, jornalista, autor de ‘Deus Abençoe’, http://www.tomsimoes.com/2019/06/deus-abencoe-religiosidade-do-ponto-de.html#more, tomsimoes@hotmail.com, setembro 2019





ALGUÉM disse que poucas coisas são tão boas na vida como ler um livro. Se pararmos para pensar, estamos lendo o tempo todo, só que agora na tela do celular, o dia inteiro, mas muito mais para se inteirar com as trivialidades da vida. Adquirir informação é produtivo, mas a leitura para além das redes sociais pode fazer toda diferença na vida de uma pessoa. Ler faz-nos crescer. Ler é para não permanecermos ordinários, incapazes de desenvolver um arrazoado. Ler contribui para pessoas pararem com essa chatice de dizer coisas vazias, sem conteúdo; essa coisa de descrever repetidamente os próprios dramas particulares e os dos outros. E parar com essa mania de fazer de si mesmo dono da verdade. Porque ler dá asas ao pensamento produtivo. Porque ler possibilita novas formas de ver o mundo e interpretá-lo objetiva ou poeticamente. Porque quem lê tem um repertório de vocábulos muito mais rico do que quem não tem esse hábito. Ler livros. Não apenas jornais e revistas; porque jornais e revistas são leituras informativas, registrando os acontecimentos do cotidiano. Ler livros é fundamental, porque a literatura recria a realidade e é um mundo à parte. Porque o livro representa o pensamento humano. E sobretudo porque, de acordo com um estudo britânico da Universidade de Sussex, no Reino Unido, apenas seis minutos de leitura diária silenciosa são suficientes para reduzir a frequência cardíaca e aliviar a tensão muscular. Quanto benefício traz a leitura! Pobre de quem não lê!

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

GRUPOS DE WhatsApp: CADÊ O BOM SENSO?






COM o surgimento do WhatsApp, é cada vez mais comum as pessoas se desligarem do mundo para mergulhar no celular. Que tal dar uma melhor utilidade a esse instrumento? Carl Gustav Jung, 1875-1961, psiquiatra e psicoterapeuta suíço que fundou a psicologia analítica, lembra que toda forma de vício é ruim, não importa que seja droga, álcool ou idealismo. 

Leitores amigos, perdoem-me! Trata-se aqui de uma coisa que antes deve ser compreendida do que erroneamente mal interpretada. Mas eu espero que vocês encontrem alguma coisa aqui que possam usar para melhorar sua vida. Eu trabalho para o alargamento da consciência humana. Todo o restante vem naturalmente quando a consciência se expande. Chame por seu Deus interno, chame por seu Eu Superior, e peça acima de tudo ‘consciência’. Quem sabe alguém aqui se sinta inspirado a melhorar algo em sua vida. Este conhecimento serve somente a quem se disponha a aceitá-lo. 

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

COM A CONSCIÊNCIA SEMPRE ATENTA

Ao perceber que estou fazendo algo errado, vou me corrigindo com certa frequência


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 1º de agosto de 2019





DEFINE-SE ‘consciência’ como a percepção que o ser humano possui do que é moralmente certo ou errado em pensamentos e ações individuais. Em termos de espiritualidade, quando o indivíduo ‘desperta a consciência espiritual’, não há mais como ele retroceder em seu relacionamento com si próprio e com o mundo. A pessoa passa então a monitorar consciente ou inconscientemente sua boa relação com a vida. É então que vai amadurecendo gradativamente no plano espiritual. Esse crescimento consciente pode ser entendido como ‘antecipação da maturidade’. Em estado de consciência desperta, não raramente o indivíduo surpreende-se com alguns pensamentos e atitudes inadequadas, que imediatamente rejeita por conta da sua responsabilidade de responder de alguma forma por eles. Isso indica o amadurecimento consciente.

terça-feira, 25 de junho de 2019

DEUS ABENÇOE - Religiosidade do Ponto de Vista de um Jornalista Livre-pensador


Tom Simões lança sua primeira obra, em 1º de junho de 2019




EU me reconheço como um ‘livre-pensador’. Daí minha obra contemplar diferentes correntes religiosas. Deus Abençoe incita o leitor a explorar uma nova maneira de olhar para si mesmo, possuindo a imaginação mais criativa que possa conceber. Desperta para o desperdício e o perigo de uma vida não examinada, auxiliando-o em seu crescimento. 

A obra não trata de uma teoria abstrata a respeito da religiosidade. Meu desejo é que o leitor saiba como manter a tranquilidade nos momentos mais desafiadores da sua vida, e não apenas quando tudo está normalizado. Por que algumas pessoas mantêm um estado de serenidade mesmo quando enfrentam problemas e desafios? Porque elas pararam de ser egocêntricas. 

quarta-feira, 5 de junho de 2019

O Essencial ....


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, junho 2019




JÁ não tenho tempo para conversas frívolas e intermináveis. As pessoas não debatem conteúdos, apenas rótulos. Meu tempo tornou-se escasso demais para debater rótulos. Desejo estar com pessoas de verdade. Há poucas delas que percebem o que é viver uma existência sem sentido e que, então, despertam para o essencial da existência. O essencial é viver em harmonia com a vida. Descobrir a plenitude e serenidade e experimentá-las com as próprias atitudes.


Friedrich Nietzsche, filósofo alemão, ilustra muito bem essa ideia: “Não me roube a solidão sem antes me oferecer verdadeira companhia”.


“Quero a essência, minha alma tem pressa”, escreve sabiamente o poeta e escritor Mário de Andrade.


(Adaptado do poema 'O Valioso Tempo dos Maduros', do poeta e escritor Mário de Andrade)

quarta-feira, 29 de maio de 2019

FANATISMO EXISTE E DEVE SER RECONHECIDO COMO TAL




Tom Simões, jornalista, tomsimoes@hotmail.com, maio 2019





PESQUISANDO, reuni algumas reflexões importantes sobre as crenças inflexíveis, de ambas ‘supostas’ verdades, que ora assolam nosso país.  

“O país está mais interessado por política, o que é bom. Mas, quando o interesse vira fanatismo, o objetivo se perde. Viver em democracia é ceder, fazer compromissos, selar acordos – e, principalmente, dialogar”, escreve Joel Pinheiro da Fonseca, na revista ‘Época’.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

O Homem Vive para Aprender


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, abril 2019




O Homem olha o mundo e a si mesmo com outros olhos quando desperta para a prática da leitura, sentindo-se, se as fontes forem boas, permanentemente inspirado a melhorar algo em sua vida. Ele tem oportunidade de romper com ideias envelhecidas no mundo dos seus pensamentos. E então compartilha com os outros o que aprendeu e continua aprendendo nesse processo de partilha... Sócrates dizia a seus discípulos que só é útil o conhecimento que nos torna melhores.

Estudo os ensinamentos e os ponho em prática na vida cotidiana. E é nessa busca que percebo o quão incompleto é o conhecimento humano, especialmente quando represamos em nós o que sabemos.  

“Aprender e ensinar constituem tarefas de cada hora, para que colaboremos no engrandecimento do tesouro comum de sabedoria e de amor”, assinala Chico Xavier, um dos maiores expoentes do espiritismo. Por sua vez, arremata Carlos Castaneda, escritor e antropólogo peruano: “O homem só vive para aprender. E se aprende é porque é essa a natureza de seu destino, para melhor ou para pior”.  

O Sentido da Vida


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, abril 2019





QUAL é a essência da natureza humana? Habilitar-se para servir como instrumento do bem comum, desinteressadamente. Michaela Glöckler, autora de ‘Força Sanadora da Religião’, faz-nos pensar que, quanto mais temos conhecimento de ‘si mesmo’, tanto mais perguntamos como empregá-lo no mundo. Como ensina a sabedoria hindu, a força dos bons deve ser usada para benefício de todos.

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Amigo: tempo para escutar

... que nunca será um tempo perdido. O amigo fica melhor. E eu também.




 “É PRECISO buscar oportunidades para estar perto do amigo genuíno, verdadeiro. Para abraçá-lo fortemente e trocar boas palavras. Para escutá-lo. O amigo fica melhor, e eu também. Porque sempre aprendo muito com ele. É sempre complicado alguém expor as suas fragilidades. É preciso muita confiança! Diz-se que os puros amigos a gente conta nos dedos... de uma mão! E que amigos de verdade a gente não encontra, é o coração que escolhe. Quem tem a  coragem de se abrir com o amigo sobre aquela coisa que se perde o sono? O tempo é um bem valioso totalmente irrecuperável. O tempo que se deixa passar, sem aproveitá-lo, é um desperdício de vida. Como elucida sabiamente o pensador Valter da Rosa Borges, ‘pior que o amor perdido é o amor que não foi dado e tudo o que não foi gasto no tempo que era devido’. Tempo para escutar o amigo nunca será um tempo perdido. Há o sábio provérbio 17:17: ‘Em todo o tempo ama o amigo; e na hora da angústia nasce o irmão’. Os desafios da vida são difíceis de superar quando estamos sozinhos, mas, felizmente, aquele especial amigo está sempre ao nosso lado. Ele é anjo guardião, é paz, é completude...”

Tom Simões

segunda-feira, 25 de março de 2019

HOJE REALIZO-ME COMO LIVRE-PENSADOR


O despertar espiritual se dá a partir do esforço de perscrutar
e transformar a si mesmo




 Tom Simões, jornalista, tomsimoes@hotmail.com, março 2019



RELIGIÃO: um debate racional ou uma exposição de crenças? Eu sou uma pessoa profundamente religiosa (assim como se define o psicanalista Contardo Calligaris: “Eu sou cristão demais”), sem necessidade de altares, dogmas, veneração de imagens, orações repetidas com a mente distraída, fanatismo, vestimenta apropriada, medo de pecar e ser castigado, sacrifícios em nome de Deus... Tudo isso insensatamente misturado à ideia de fé, que deve ser natural, despojada, expressa pela assunção de compromissos obrigatórios e pessoais com foco exclusivo no ‘bem’, caminho sempre disponível para todos chegarem a Deus.

quinta-feira, 21 de março de 2019

FELICIDADE


Tom Simões, jornalista (Santos, SP, Brasil), março 2019




COM o tempo, a gente aprende a ser mais a gente, a respeitar nossas características peculiares. Aprende a inverter algumas prioridades e escolher aquele (a) s que queremos ao nosso lado. Aprende a se preencher com o silêncio, a esvaziar-se de si mesmo. Para chegar aonde eu quero, tenho que abrir mão de algumas coisas. Mas encaro tudo isso com plena consciência de que faço uma escolha. Porque felicidade é serenidade!

(É incrível, mas embasei-me num texto do escritor Fred Elboni, dessa estirpe de jovens com maturidade antecipada)

quinta-feira, 7 de março de 2019

AMÓS OZ, 1939-2018


Escritor e ativista político israelense, cofundador do movimento pacifista Paz Agora. Em 2017, aos 77 anos, ele esteve no Brasil para participar do ciclo de conferências ‘Fronteiras do Pensamento’.




Para os gregos, atingia a felicidade aquele ser provido de sabedoria. É preciso usar a nossa racionalidade para nos sentirmos menos angustiados. A ponte é a filosofia, com a qual podemos nos salvar dos medos e das angústias. Enfrentar as ilusões, as mentiras que contamos a nós mesmos, enfrentar o vazio com a coragem e a racionalidade. Para sairmos mais fortes. Eu não sou sábio, porque ainda sofro. As ideias dos grandes Pensadores podem nos ajudar a enfrentar os vazios existenciais e a encontrar algumas respostas.



MAIS e mais pessoas tendem ao extremismo”, diz Amós Oz.