sábado, 24 de outubro de 2020

A FOME É NOSSA VIZINHA, MAS DESCONHECEMOS

 Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 20 de outubro de 2020



Eu tenho o hábito de oferecer, vez ou outra, um lanche a funcionários do prédio onde resido.

Hoje levei um almoço. Disse ao porteiro que dava para ele dividir com outro(a) funcionário(a), por conter ali quantidade suficiente para duas pessoas. “Obrigado, senhor Tom, eu vou dividir com Fulano, porque hoje ele só trouxe pão”, revelou-me.

Esse mesmo porteiro, num domingo, perguntando-lhe se tinha algo a comer, ele respondeu-me: “Tenho sim, senhor Tom, tá cheio de banana aqui”...

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

"Velho não quer trepar!"


Mulheres e homens mais velhos têm liberdade para escolher novos prazeres e projetos de vida  

         

                  ·         Mirian Goldenberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, é autora de "A Bela Velhice". Folha de S.Paulo, 1º de outubro de 2020

 

Apenas excepcionalmente eu insiro artigo de outros autores. Só quando me identifico bastante com o texto e julgo importante compartilhá-lo com o leitor que me acompanha. Tom Simões


 

COM o título “Velho não quer trepar e usar drogas, quer ser dono de casa”, matéria do Uol - repercutindo uma declaração dada no programa "Saia Justa", do canal GNT - mostrou que Rita Lee descobriu novos prazeres na velhice.

Aos 72 anos, ela disse que “trepou a vida inteira” e que agora tem vontade de ler mais, aprender coisas novas, pintar. Passou a gostar de lavar louça, arrumar a cama e outras tarefas “fantásticas”. “E hoje estou aqui, velha e dona de casa”, já que “fazer sexo e usar drogas” não lhe interessam mais.

terça-feira, 29 de setembro de 2020

CONVERSAS ENFADONHAS...

Toda espécie de conversa há de ser objetiva e produtiva

 

Imagem: https://www.youtube.com/watch?v=iwML-twN7LU, Como não ser chato


 Tom Simões, jornalista, Santos (SP), 29 de setembro de 2020

 

SABE aquela pessoa que fala com você desmedidamente, consumindo o seu tempo sem nada acrescentar um ao outro? Li algo assim: “Quando muitas pessoas cansativas aparecem e seguem aparecendo, você tem que ser cruel com elas, pois elas estão sendo cruéis com você”. Risos... Como escreve o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, “Não me roube a solidão sem antes me oferecer verdadeira companhia”.

Pessoas enfadonhas adoram falar sem parar, focadas em seus interesses particulares. O problema não é só falar demais, mas não deixar o outro também se manifestar. Todos querem falar um pouco, daí também ouvir ser essencial numa conversa a dois.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Um jeito zen de ser! André Trigueiro e Monja Coen


 

Tom Simões, jornalista, Santos (São Paulo) Brasil, 22 de setembro de 2020

 

ACABO de assistir ao vídeo e gostaria de manifestar minha profunda emoção com essa produtiva aula de vida. A vida é um processo contínuo de aperfeiçoamento, que não acaba nunca.

Não há como não compartilhar com vocês, meus gentis seguidores. Trata-se de uma das apresentações mais proveitosas que eu assisti nos últimos tempos. Uma conversa auspiciosa entre o jornalista André Trigueiro, especializado em jornalismo ambiental, e a monja zen budista Coen, realizada no dia 26 de agosto de 2020. Ela fala sabiamente de vida, morte, depressão, suicídio, alegria, humor... Muito conteúdo importante abordado de forma leve e divertida por quem encontrou um caminho de luz. Observem o semblante de André Trigueiro durante todo o tempo da entrevista, ele sorrindo com a sabedoria da monja.

terça-feira, 8 de setembro de 2020

EMOJIS, GIFs E OUTRAS FIGURAS E MENSAGENS INÚTEIS

Ao levantar pela manhã, o primeiro ato de muitas pessoas é ligar o celular e ir ao WhatsApp, gastando bom tempo do dia distraídas com futilidades. É preciso despertar para o desperdício e o perigo de uma vida não examinada. E manter uma sensação de propósito e progressão na vida. 

  

Tom Simões, jornalista, Santos (São Paulo) Brasil, 8 de setembro de 2020

“OS PROFESSORES ideais são os que se fazem de pontes, que convidam os alunos a atravessarem e, depois, tendo facilitado a travessia, desmoronam-se com prazer, encorajando-os a criarem suas próprias pontes”, crê sabiamente Nikos Kazantzakis, escritor grego.  

 

Vai aqui uma confissão que certamente poderá magoar um ou outro leitor. Mas há tempo ensaio para abordar educativamente esta questão. Receber diariamente inúmeras notificações impessoais automáticas chega a ser irritante, criando um desconforto para muitas pessoas. Esses recursos podem ser utilizados, sim, mas é preciso empregá-los de forma sensata; por exemplo, como resposta a um amigo ou a uma postagem que nos agrade. Não me levem a mal. Mas sei que muita gente se sente incomodada com o exagero diário dessas trivialidades, principalmente no Facebook Messenger e WhatsApp. É um exagero de inutilidades. Eu prefiro, de tempo em tempo: "Olá, fulano (a), lembrei de você. Um abraço!" Ou algo do gênero, de cunho pessoal.

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

AMOR SEGUNDO GIBRAN

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 17 de agosto de 2020  



(Clique no vídeo após a leitura do texto, ou vice-versa, para fortalecer os conceitos ora transmitidos)

 

OS ENSINAMENTOS da filósofa Lúcia Helena Galvão na Nova Acrópole são muito instrutivos e práticos. Não imagino alguém saindo de suas aulas sem agregar valor à vida. Há uma sabedoria hindu que diz que a força dos bons deve ser usada para benefício de todos.

O autoconhecimento nos traz o saber, e este, o poder de nos transformar em pessoas melhores e mais plenas internamente. Trata-se de um longo caminho a ser percorrido, e que exige a reinvenção de cada um de nós.

terça-feira, 11 de agosto de 2020

ENVELHECIMENTO ATIVO

O que significa ser velho no Século 21? É preciso acumular conhecimento, senão você vai ficar redundante. E muito chato!

 

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 10 de agosto de 2020


https://www.youtube.com/watch?v=K_Pl1weJbBE

(Clique no vídeo após a leitura do texto)

  

TRATA-SE aqui da apresentação do médico Alexandre Kalache, 74, no ‘Café Filosófico’ da TV Cultura de São Paulo, no dia 10 de agosto de 2020, abordando o tema “Longevidade em tempos de pandemia: terá valido a pena viver tanto”? É uma dessas pérolas que gosto de compartilhar com meus seguidores.

Alexandre Kalache, 74, nascido no Rio de Janeiro, é um médico epidemiologista especializado no estudo do envelhecimento. Desde 2012, ele preside o International Longevity Center-Brazil e, desde 2015, é copresidente da Aliança Global de Centros Internacionais de Longevidade.

domingo, 9 de agosto de 2020

O QUE É MAIS IMPORTANTE NA VIDA?

As lições de vida que podemos aprender sobre o confronto com a morte. Este vídeo traz-nos um novo olhar para a vida.

 

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 5 de agosto de 2020


https://www.youtube.com/watch?v=q1vZ_zubkFg&pp=wgIECgIIAQ%3D%3D&feature=push-fr&attr_tag=HqIVnE2Q-J_VA609%3A6

 (Clique no vídeo após a leitura do texto)

  

BUSCAR o conhecimento útil, aquele que nos torna melhores, e compartilhá-lo com amigos, significa para mim uma missão extraordinária. Aqui apresento um produtivo diálogo filosófico sobre as lições de vida que podemos aprender diante do confronto com a morte, promovido pela Nova Acrópole, unindo as sabedorias da professora de filosofia Lúcia Helena Galvão e da médica geriatra Ana Cláudia Quintana, especializada em Cuidados Paliativos.   

Como cita a doutora Ana Cláudia, a pessoa que morre está nua, liberta de todas as vestes físicas, emocionais, sociais, familiares e espirituais. E, por estar nua, consegue nos ver da mesma forma. As pessoas que estão morrendo desenvolvem uma habilidade única de ver. Estar ao lado de alguém que está morrendo é desnudar-se também.

sábado, 1 de agosto de 2020

Felicidade

PESSOA feliz fala pouco. Ela se basta em seu silêncio, em sua plenitude ...


Tom Simões, 31 de julho de 2020


quinta-feira, 30 de julho de 2020

MINHA ORAÇÃO DIÁRIA


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 30 de julho de 2020

 

 

 

O QUE é uma Oração?

 

Cita um autor desconhecido, que a oração não acontece simplesmente quando nos ajoelhamos ou colocamos as mãos juntas e nos concentramos e esperamos pelas coisas de Deus.

 

Pense positivo e deseje o bem para os outros. É uma oração.

 

Quando você abraça um amigo. É uma oração.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Qual Legado Você Quer Deixar Neste Mundo?

Márcia Mattiollo, coach e mentora de carreira

Blumenau (SC), 31 de outubro de 2017

 

ESTA é uma pergunta complexa geralmente trabalhada nas primeiras sessões do meu processo de Coaching. Sessão intensa que, em alguns momentos, gera muitas dúvidas para na sequência gerar muita clareza e direção na vida do ‘Coachee (aprendiz).

Quando pergunto se já pensou em deixar um legado? Qual é o cheiro que você quer deixar no mundo? Como você gostaria de ser lembrado? Dinheiro, bens ou uma história que possa ser contada por várias gerações? O que faz a vida valer a pena? Qual é o seu sonho? O que ainda está faltando? Onde estão as respostas? Como você gostaria de ser lembrado no futuro? Você já pensou em deixar um legado? ... Percebo que a maioria das pessoas não tem por hábito fazer estas reflexões, incorrendo no risco de viver uma vida: “Vida Leva EU”.

domingo, 19 de julho de 2020

Um trabalho exemplar com moradores de rua

Por Guilherme Rodrigues Simões, jornalista


Imagem: Pixabay


Acompanhamos diariamente notícias revoltantes e desanimadoras na mídia, principalmente por conta de nossos políticos, ora envolvidos em ‘desvios financeiros’, ora responsáveis por declarações e medidas inoportunas.

O jornalismo cumpre o seu papel, ao apurar o que está errado e defender o interesse público. O erro da mídia, a meu ver, está em ceder pouco espaço a notícias boas, construtivas, capazes de trazer esperanças de um mundo melhor. Boas iniciativas também ‘vendem jornal’, repercutem e podem educar a população. Cabe ao jornalismo rever suas estratégias nesse sentido.

domingo, 28 de junho de 2020

QUAL É O NOVO LUXO DO MILÊNIO?

Quem pode ter a liberdade de ser o que é, sem se preocupar com a opinião de ninguém? Eu selecionei este precioso texto de Bruna Lombardi, publicado em redefelicidade.com.br, 2019



tomsimoes@hotmail.com, 28 de junho de 2020

O LUXO MUDOU. Existe um novo conceito moderno do que é o luxo supremo. Os antenados estão ressignificando não só a palavra, mas as suas atitudes em relação a ela.
A mudança de comportamento nesse novo milênio mostra uma nova consciência no mundo.  E toda grande transformação começa quando ocorre uma mudança de valores. E é isso que estamos vivendo.
Aos poucos, mesmo os mais desatentos, os mais conservadores, mesmo os novos ricos, deslumbrados com sua escalada social, vão perceber que o luxo agora é outro.

terça-feira, 23 de junho de 2020

ASPECTOS FILOSÓFICOS DAS RELAÇÕES HUMANAS


Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 23 de junho de 2020


UM PRESENTE AOS MEUS SEGUIDORES. Trata-se de um dos mais completos e didáticos Ensinamentos sobre a prática diária da Filosofia, que descobri recentemente. Um salto à sabedoria. A professora de filosofia Lúcia Helena Galvão Maya, da Nova Acrópole do Brasil, há 30 anos, tem mais de 25 milhões de visualizações no YouTube. Não há como não agregar valores à vida após assistir a essa extraordinária apresentação: ‘ASPECTOS FILOSÓFICOS DAS RELAÇÕES HUMANAS’, que selecionei para o leitor. Basta clicar no link, no final do artigo. Temas existenciais profundos como liberdade, inteligência, boa vontade e unidade ganham uma abordagem direta que permite trazer as teorias para a prática.

domingo, 14 de junho de 2020

FELICIDADE GENUÍNA: O OBJETIVO FINAL...


“EU só aprendi isso agora. Eu só percebi agora que uma cortina amarela em casa é uma dimensão fundamental da felicidade. Uma coisa tão ridícula, mas tão simples que a gente só senta ali. Recebe um amigo, faz um jantar e só sente aquele momento e a gente pensa: ‘Não é necessário ganhar prêmios, não é necessário ter televisão, seja o que for. [...] Não sou um homem rico. A maior parte do dinheiro que tenho doo para pagar dívidas de pessoas amigas. Não tenho coisas caras. Se o acaso me matar, já não importa muito porque minha vida já valeu muito a pena.”


              
Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 27 de maio de 2020


O QUE constitui a felicidade é uma questão a ser debatida, escreveu Aristóteles, filósofo grego, ‘e o que o povo pensa sobre ela não é o mesmo que os filósofos’. Eu penso que as pessoas costumam confundir ‘prazer’ com ‘felicidade’. ‘Prazer’ é a sensação ou emoção agradável resultante da satisfação de uma vontade ou   necessidade; uma alegria, contentamento ou diversão temporários. Já o significado de ‘felicidade’ é mais amplo, tem a ver com o que está além dos nossos sentidos, com a permanência de algo sublime. ‘Sublime’ diz respeito ao que transcende o aspecto humano, ao que não é ordinário, comum; ‘sublime’ expressa a conexão com algo elevado.

segunda-feira, 8 de junho de 2020

SÃO OS OUTROS QUE NOS VEEM VELHOS!

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, junho 2020


  

É DIFÍCIL descrever. Precisa chegar lá! A gente não se sente idoso, quando se mantém saudável em todos os aspectos.  São os outros que nos veem velhos. Há jovens que se comportam como velhos. Mas cada indivíduo tem sua história; portanto, não é somente aquilo que a gente vê. Eu me sinto preenchido. E privilegiado, com a capacidade de me reinventar sempre. E de ser útil ao mundo.

“Se puder, envelheça”, diz alegremente o músico Oswaldo Montenegro, 64. “A gente vai sacando que não tem importância e que pouca coisa no mundo tem verdadeira importância. Ficar velho é sacar nossa própria desimportância e ficar mais solto por isso”. Com mais liberdade!

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

HOMENS PODEM SER FELIZES SEM SEXO?


Muitos sofrem calados, por vergonha e medo do estigma de não corresponderem ao ideal de ser ‘um homem de verdade’. Espera-se que eles sempre estejam dispostos, mas essa não é a realidade.

·        Fonte: Mirian Goldenberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, autora de ‘A Bela Velhice’. Folha de S.Paulo, 4/2/2020



“RECEBI tantas mensagens dos leitores comentando a coluna ‘O sexo das mulheres mais velhas’, que sou obrigada a voltar ao assunto, especialmente para retratar as angústias masculinas. Seguem três mensagens que recebi:

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

A VERDADEIRA ORAÇÃO

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, 14 de janeiro de 2020




O EXERCÍCIO habitual da bondade e generosidade é a verdadeira oração, esse ato religioso que nos conecta com a Divindade. De nada adianta promessas e sacrifícios (peregrinar, jejuar, andar de joelhos, ir à missa por obrigação...), beijar imagens, rezar distraidamente o terço, repassar correntes religiosas, pular ondas na virada do ano, se a ignorância e o egoísmo permanecem. Tudo isso contraria o bom senso e o raciocínio lógico. A gente não precisa pedir nada ao Divino, interessadamente. Atraímos o que merecemos. É necessário refletir sobre o verdadeiro propósito da vida humana. A verdadeira oração é agir sempre de forma a produzir a maior quantidade de bem-estar ao próximo. Quando a gente se sente preenchido, surge naturalmente o desejo de compartilhar... É então que dá pra falar de felicidade genuína, sim.” 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

NÃO GOSTO DE FESTAS

EU-TAMBÉM-DESCOBRI-QUE-NÃO-GOSTO-DE-FESTAS hahahaaaa... Prefiro mesmo reunir-me com amigos num café da tarde, num almoço num restaurante, na casa de um ou outro para conversas agradáveis e produtivas...

Tom Simões, jornalista, tomsimoes@hotmail.com, janeiro 2020


(sintetizado de “Boas festas – ou ‘pole’ norte", do escritor Antonio Prata, Folha de S.Paulo, 22/12/2019)

“POR motivo de crise-de-meia-idade-e-busca-por-saúde-e-algum-sentido-nesta-coisa-louca-que-é-a-vida, dei-me conta de que passei as últimas décadas achando que gostava de festa porque nelas estava sempre mais ou menos bêbado — e o leitor há de convir que qualquer programa do qual o desfrute dependa de que os participantes estejam mais ou menos bêbados só pode ser um programa ruim.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

AMOR INCONDICIONAL: COMPÊNDIO


O amor comum é egoísta, obscuramente enraizado em desejos e satisfações. Como cita Fernando Pessoa, nunca amamos ninguém; é a nós mesmos que amamos ...

Tom Simões, jornalista, www.tomsimoes.com, dezembro 2019




ACHAMO-NOS normais. Acreditamos que nos relacionamentos com os mais próximos (família, amigos, e outros menos próximos) somos até bem camaradas. Mas quem é capaz de surpreender habitual e DESINTERESSADAMENTE o outro? Em que sentido seria isso? Fazer algo que não ocorre rotineiramente, como um elogio inesperado... Porque há ideias embutidas no subconsciente da ‘normalidade’, do tipo: ‘isso não é minha função, mas do outro’... Daí a gente vai e faz, ainda que lidando com uma pessoa egoísta. Bom mesmo é a sensação de quem age assim! Por se tratar de uma pessoa preenchida de amor, que precisa compartilhá-lo. Quando alguém desperta neste sentido, age naturalmente! Por vezes, o outro pode até se surpreender, mas ainda não está pronto para se desvencilhar de si mesmo e descobrir o amor incondicional, esse desejo silencioso de compartilhar a ‘felicidade genuína’, ou seja, a paz permanente. Esse é um caminho que transcende a normalidade. Ponto. Albert Camus, filósofo francês, acredita que o homem tem duas faces: ‘não pode amar ninguém, se não se amar a si próprio’. Por sua vez, Anthony Strano, escritor, conta que, através da história, pode-se ver que as pessoas genuinamente espirituais, que despertaram a consciência divina, normalmente expressaram-na através do desejo de servir: ‘se alguém ama, doa’.