segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Confraternização de final de ano da equipe de canoagem ‘Poseidon’

Tom Simões, tomsimoes@hotmail.com, Santos (SP), Brasil, 30 de dezembro de 2016

(eu não estive presente no evento, daí a origem deste texto)



QUEM disse que o Tom não esteve na confraternização?... Estar aqui significa estar fisicamente presente, mas pode significar também estar ‘plena e espiritualmente’ presente, com o coração cheio de amor! Como não estar ali com pessoas tão importantes que agregaram inestimáveis valores à minha vida neste primeiro ano de canoagem, de intensa convivência?... Pessoas que me acolheram generosamente num grupo tão singular, mágico, humano, alegre, enriquecedor...
A canoa é o símbolo de uma mágica união: tem-se o mar como fonte de inspiração e a oportunidade extraordinária de fazer amigos para compartilhar a vida, com todas as nossas eventuais queixas e permanentes maravilhosas compensações. Trata-se de uma embarcação de pequeno porte, feita de uma só peça, alongada e estreita, movida a remo, e que tem uma rica simbologia: ‘simplicidade, serenidade, habilidade e independência’.

Olha só que coisa bacana eu descobri neste linkhttp://sonhoesignificado.blogspot.com.br/2013/05/sonhar-com-canoa-significado.html, sobre algumas de suas particularidades:
“[...] A canoa é também um reflexo do seu equilíbrio emocional. Você está se movendo à frente através do seu próprio poder e determinação. Canoas exigem muita força para manobrar, o que nos mostra então algo sobre a nossa capacidade de lidar com as emoções e, sobretudo, com nossa capacidade de lidar com as emoções que são provocadas por outras pessoas. Canoas também podem mostrar a nossa vontade de seguir instruções e os nossos níveis de habilidade.”
O capitão Felipe, que me ensina a remar, orienta neste sentido e avalia os alunos durante todo o tempo; dá boas broncas, inclusive, quando a distração polui a mente do aprendiz. Broncas que nunca ferem ninguém, pelo contrário, animam a equipe e a fazem seguir adiante. As broncas de Felipe já se tornaram uma de suas marcas pessoais: “como um bom pai, ele chama, quando necessário, a atenção do filho, mas o ama muito, sem limites”. Os olhos do Capitão não escondem a sua paixão pelo mar, pela canoagem e pelos seus discípulos. Cada sorriso resplandecente do mestre Felipe, de tão verdadeiro, tão espontâneo, inunda a alma dos seus alunos!
No referido link também é descrita a relação dos nossos sonhos com a canoa: “Se você tem um sonho sobre uma canoa, você está provavelmente sentindo-se como se desejasse obter um melhor controle da sua existência. Se está remando uma canoa em seu sonho, você está assumindo um grande primeiro passo para melhor controlar os eventos em sua vida. Se está remando a canoa, você quer estar em plena carga. No entanto, é claro que vai ter um monte de trabalho. Seu sonho com remar uma canoa é para lembrá-lo de trabalhar duro e lutar contra a aspereza da água, porque, no final, vai valer a pena para ser capaz de dizer que você fez tudo por conta própria. Agora, se alguém está remando a canoa em seu sonho, então você vai deixar os outros afetarem a sua vida e suas emoções. Porque, como canoas são feitas pelo homem, se você não está no controle de sua própria canoa em seu sonho, significa que alguém está influenciando suas emoções. Na vida real, é uma boa ideia ouvir as opiniões dos outros. No entanto, você não deve deixar alguém influenciar sua vida inteira. Você pode ainda não ter encontrado a combinação perfeita de experiência de vida e conselhos de fora. [...]”.  

Osho, filósofo indiano, que tanto inspira minha vida, dizia sabiamente: "As pessoas que estão comigo têm de ser totalmente diferentes, têm de ser um novo fenômeno no mundo. Não vão interferir na vida de ninguém e, no entanto, vão transformar o mundo todo. Isso é mágica de verdade. Você não tem a intenção, não impõe, não interfere, não invade ninguém. Você não faz nenhum julgamento: ‘Você está errado e eu vou endireitá-lo. Você não está preocupado com isso; isso é problema dele, é a vida dele. Se alguém quiser destruí-la, tem o direito de destruí-la. Se alguém quer viver estupidamente, tem o total direito de fazer isso. É a vida dele. Como ele a vivencia, como ele a vive ou se ele permanece quase morto, adormecido do berço até o túmulo, essa continua sendo a vida dele e ele é dono dela. Por isso, aqueles que estão comigo não têm de interferir na vida de ninguém. Eu tenho uma abordagem totalmente diferente para mudar o mundo: ‘Cada um mude apenas a si mesmo’. E quando estiver rejubilando e dançando, vai ver que alguém ao seu lado começou a dançar com você, porque todos nós somos a mesma consciência humana com o mesmo potencial. Ninguém é estrangeiro. Podemos falar idiomas diferentes, mas entendemos uma linguagem. Então, quando você está feliz, sorrindo, o outro, que pode não estar sorrindo, de repente sente um sorriso surgir no rosto. Você pode ser um estranho, mas você sorriu para a pessoa, acenou para ela. Você mudou a pessoa sem que ela soubesse e sem que você tivesse essa intenção”.





Há uma sincronicidade entre corações afins. Eu costumo comentar algo neste sentido com alguns amigos, esse algo que caracteriza basicamente a prática da canoagem: ‘a sincronicidade’. Sem ela, a canoa perde o seu rumo, ou não obtém a navegabilidade ideal. Com base nessa ideia da ‘sincronicidade’, proponho que cada um mude a si mesmo; nessa própria mudança, mudamos uma parte do mundo. Como revelava Osho, magistralmente: “Você é uma parte do mundo. Se a sua mudança é algo que o torna rico, o torna alegre, o torna feliz, o torna uma canção, então é difícil aos outros resistirem a cantar com você, dançar com você, florescer com você. Um único indivíduo pode transformar o mundo todo sem nem sequer mencionar a palavra transformação”.

Osho dizia também: “O bom homem lhe dá amor, não para receber de volta. Ele o compartilha e lhe fica agradecido porque você lhe deu essa oportunidade; porque você estava suficientemente aberto, disponível, vulnerável; porque você não o rejeitou quando ele estava pronto para despejar todas as suas bênçãos sobre você; porque você abriu seu coração e recebeu tanto quanto estava dentro da sua capacidade”.

Feliz 2017, companheiros de remadas! Tornemos o Novo Ano extraordinário em nossas vidas! Palavras são pobres. Abraço não! Abraço é a única coisa do mundo que, quanto mais apertada, mais alívio ela dá. Arrochamos o abraço quando descobrimos pensamentos e sentimentos semelhantes. Arrochar significa apertar com muita força! Até ficar roxo, daí também o outro significado: ‘abraço arroxado’.

Ohana, boas pessoas! Para os havaianos, a família tem um significado mais amplo do que apenas as pessoas unidas por laços sanguíneos; a família estende-se a todas as pessoas unidas pelo afeto, pela amizade, cooperação e convívio. Como a família Poseidon, da qual me orgulho de fazer parte.

Ohana, família Poseidon! Já não sou mais o mesmo! Antes da canoagem, eu sentia uma grande frustração: embora morando numa cidade litorânea, não me aventurar no mar, de alguma forma. Hoje, meus corpos físico, mental e espiritual abraçam o mar, provocando um tipo de emoção que jamais senti na minha vida. Sentado naquela canoa, envolvido com a singularidade desse veículo de navegação, vou me aventurando e me encantando com o oceano, com a sua exuberância, beleza e fonte de mistérios. Hoje, graças à prática da canoagem, desenvolvo um novo olhar para um pôr de sol, o brilho da lua e das estrelas, a dança originalíssima das ondas do mar, a chuva abençoada, batendo forte na canoa e no meu corpo... Desenvolvo um novo olhar para a vida. Aprecio mais remar à noite. Com a canoa, essa espécie de ‘brinquedo’, que leva à originalidade da infância, aprendi a assimilar o cheiro da água salgada, a perceber os sons do mar e a enxergar diferentemente as faces do horizonte. Com a canoa, experimentei que, no mar, tudo pode mudar a qualquer momento. Sincronia das remadas é a palavra-chave dos praticantes da canoa havaiana. ‘Respeito’ às condições do mar, a outra ordem. O capitão Felipe não nos deixa infringir as fundamentais regras. E tem outro algo que me deixa feliz: o hábito dos canoeiros de recolher algum lixo boiando na superfície do mar... Como também o hábito de os navegantes saudarem os outros viajantes marítimos. São muitos, portanto, os retornos produtivos proporcionados pela prática da canoagem.

Obrigado, boas pessoas! Sinto-me recompensado com um sentimento inestimável de gratidão. Onde alguém poderia arrumar uma família, sem laços sanguíneos, tão unida como a família Poseidon?... Que 2017 nos estimule a explorar uma nova maneira de olhar para nós mesmos, possuindo a imaginação mais criativa e produtiva que se pode conceber. Por uma equipe cada vez mais unida e capaz de agregar valores humanos! Por um mundo melhor, para nós e para os outros! A canoagem é uma benção na vida de seus adeptos, com toda a sua singular simbologia para enriquecer a vida dos seus apaixonados. Que seja 2017 um formidável ano para a família Poseidon se encontrar muitas e muitas vezes e se abraçar, se abraçar e se abraçar...

           
   ·         Revisão do texto: Márcia Navarro Cipólli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar mais facilmente, ao clicar em “Comentar como – Selecionar Perfil”, selecione NOME/URL. Após fazer a seleção, digite seu NOME e, em URL (preenchimento opcional), coloque o endereço do seu site.